Pular para o conteúdo principal

Postagens

FONTE DA JUVENTUDE

Em certa ocasião, o marechal Richelieu, amigo próximo do rei Luís XV, foi consultar um médico bordalês que lhe recomendou beber Lafite, um dos vinhos mais apreciados e famosos do mundo; "o mais fino e agradável de todos os tônicos". Ao retornar à corte, o rei indagou o amigo sobre a sua aparência rejuvenescida. Richelieu respondeu: "Vossa majestade ainda não sabe que encontrei a fonte da juventude? Descobri que Château Lafite faz bebidas revigorantes: elas são tão deliciosas quanto a ambrósia dos deuses do Olimpo". Os membros da realeza apreciavam à brava essa bebida. As amantes oficiais de Luís XV, Madame Du Barry e Madame de Pompadour eram grandes entusiastas por este vinho. A corte inglesa também apreciavam o vinho, e o primeiro ministro Robert Walpole comprava um barril a cada três meses.  Lafite foi vendido em 1784, cinco anos antes da Revolução Francesa, pois o marquês Ségur morreu e houve uma divisão das propriedades da família, pois ele não teve herdeiros hom…
Postagens recentes

A ORIGEM DA TRADIÇÃO DE BRINDAR

Ao erguer suas taças de vinho, os povos antigos faziam uma oferenda simbólica a seus deuses. Os relatos mais antigos de brindes remontam aos gregos e fenícios, segundo Jennifer Rahel Conover.

Para saciar a sede das divindades, os romanos adotaram o hábito de derramar um pouco da bebida no chão – algo como o costume de dar um gole de cachaça “pro santo”, comum no Brasil. Além disso, o brinde selava o fim de conflitos. O vencedor dava o primeiro gole para provar que não iria envenenar o adversário. “E, ao bater um copo no outro, os romanos achavam que os venenos se depositariam no fundo das taças”, afirma John Bridges, autor do livro A Gentleman Raises his Glass (“Um Cavalheiro Ergue seu Copo”, inédito no Brasil).

Na ameaça de intoxicação também está uma das hipóteses sobre a origem da exclamação “saúde!”, que acompanha os brindes: na Grécia antiga, isso poderia ser uma promessa de que a bebida estava boa.



Fonte: https://super.abril.com.br/historia/como-surgiu-a-tradicao-de-brindar/

ORIGEM DA CACHAÇA - PARTE 2

A origem da cachaça foi o resultado de um processo histórico. A fermentação era dominada tanto pelos portugueses, com o vinho, quanto pelos índios, com o cauim. Esses dois povos eram a base do país que se formava em meados do século XVI, no qual a cachaça nasceu (os primeiros negros ainda estavam chegando; no século XVI, foram apenas 29.275, contra 784.457 no século seguinte, segundo o Trans-Atlantic Slave Trade Database). Os índios, claro, não conheciam a destilação, processo que já era utilizado na Antiguidade, mas que foi disseminado a partir da invenção do alambique moderno, atribuída a Jabir ibn Hayyan (Geber), nascido no atual Irã do século VIII. É bom lembrar que os árabes, nesse momento histórico, eram tecnologicamente muito mais desenvolvidos que os europeus. E também que dominavam a Península Ibérica, onde introduziram os alambiques que, ali pelo século XVI, quando os árabes já tinham partido de Portugal, eram usados na ainda incipiente indústria da bagaceira, a aguardente por…

VINHO VERCELLI VINTAGE

O vinho Vercelli Vintage é um “vinho romântico”! É um vinho de mesa tinto, elaborado exclusivamente com a uva bordô. O Vintage se destaca por ser um dos únicos no Brasil por ser um vinho de mesa envelhecido durante 6 meses em barricas de carvalho. É um vinho límpido, encorpado e de cor rubi. Seu sabor é extremamente frutado, com sabor envelhecido, de paladar marcante e final licoroso.
Harmonização:
- pratos leves
- sobremesas
Temperatura de serviço: entre 6 a 8ºC
Teor alcoólico: 10,2%

VINHO VERCELLI PREMIUM

O vinho de mesa Vercelli Premim tinto, é um vinho elaborado a partir de uvas bordô, que apresenta paladar aveludado, encorpado, agradável e com personalidade marcante. É um vinho de cor violácea intensa, aroma harmônico, com notas de frutas vermelhas maduras e final frutado.
Harmonização: - massas
- carnes vermelhas
- frangos
- peixes
- sobremesas
Temperatura de serviço: entre 9 a 12ºC
Teor alcoólico: 10,2%

file:///C:/Users/Gabriel/Downloads/C%C3%B3pia%20de%20Organik%20-%20Presentation.pdf

PASTEUR E O VINHO

Louis Pasteur foi um brilhante cientista francês que, entre outros méritos, conscientizou o mundo sobre a importância da higiene e ajudou a criar as vacinas. Todos esses estudos foram desenvolvidos ao mesmo tempo em que ele se empenhava em comprovar que a Teoria da Geração Espontânea, que afirmava que as coisas nasciam “do nada”, estava errada. Ele acreditava que existiam microrganismos no ar, capazes de se desenvolver e multiplicar. E o vinho? Tudo começou quando ele foi chamado para salvar a produção de uma vinícola na França e descobriu que o problema era a presença de micróbios que estragavam a bebida. Naquela época, optou-se por ferver o vinho para a pasteurização, técnica que representou uma revolução, mas que não se emprega mais hoje. Se não fosse ele, não saberíamos, por exemplo, o papel das leveduras na transformação do açúcar em álcool. Viva Pasteur! Texto originalmente publicado no livro O Mundo do Vinho da Porto a Porto.

VINHO VERCELLI E O FRIO

O vinho Vercelli causa uma sensação de esquentamento devido ao seu efeito vasodilatador. Isto é, aumenta o diâmetro dos vasos sanguíneos, facilitando o fluxo sanguíneo, relaxando a musculatura lisa das artérias, o que causa o aquecimento da periferia do corpo. Este efeito 'cascata', por aumentar a circulação de sangue no corpo, proporciona uma sensação de esquentamento.
Na medicina, esse fenômeno pode ser explicado apenas como uma sensação biológica, contudo, sabemos que a experiência de tomar um vinho Vercelli durante o clima frio torna muito mais agradável, prazeroso e repleto de histórias para contar.

Texto redigido por @gabriel_vercelli

#vinho#frio#vinhosbrasileiros#medicina#medicine